segunda-feira, 19 de dezembro de 2011

Panorama Político: A Novela continua...



O "Site Sou de Monte Alegre", administrado pelo competente amigo Ban, reproduziu um texto meu: "Pré-candidato do PT esclarece a saída do grupo de Aragão e comenta os últimos acontecimentos políticos". O texto gerou uma discussão interessante sobre o tema "UNIÃO".

Tivemos dois comentários que nos chamaram a atenção:

1) Comentário de LUCIANO: 

Luciano entra na questão e dá a sua versão da história. Sobre a proposta de Aragão - que os próprios pré-candidatos do grupo decidiriam quem sairia candidato para os cargos PREFEITO/VICE-PREFEITO - o empresário Luciano revela que houve uma quebra de acordo. Ele escreveu:
"...fui informado, que sem combinar comigo e TT, o chiquinho orientado por alguem, chamou o meu amigo Geninho para uma reuniao de emergencia, para ver si havia um entendimento para forma uma chapa majoritaria, foi quando o Geninho nao concordou sem a presenca de todos e tambem ter uma uma conversa com o seu pai de ZE de DE, que é uma lideranca forte em nosso municipio e que sempre esta presente nas grandes decisoes da politica de Monte Alegre". 

Veja: pessoas próximas à Chiquinho dizem que Geninho e Chiquinho teriam chegado a um acordo - iriam para a pesquisa e de acordo com a posição da pesquisa, sairia o candidato a Prefeito e a Vice. Ja, na versão de Luciano, Geninho rejeitou essa proposta.

É... cada vez a coisa fica mais confusa.

2) Comentário de JORGE SANTANA

Jorge Santana, possivelmente o "orientador" de chiquinho, citado por Luciano no comentário, resolve se manifestar. Ele escreve:
 "Você, Luciano, em seu comentário relata que foi acordado um entendimento entre os quatro pré-candidatos. É verdade, mas esqueceu de informar que em nenhum momento o senhor Zé de Dé participou de qualquer reunião ou discussão de arrumação desse grupo e mais, pelo que todos sabem foi ele quem bateu no peito e disse ‘fui eu que decide e pronto’, voltamos a idade da pedra lascada. Então, você, Luciano, está se contradizendo, pois era para os quatro discutirem um projeto e chegarem a um consenso, caso não chegassem iriam para uma pesquisa a qual vale frisar, que você foi sempre contra, o motivo não sei. Pois todos sabem que quem decide é o povo, nada mais justo que esse povo tivesse uma participação.

Jorge "põe o circo pra pegar fogo" quando ele diz:
"Quanto a reunião que você citou, houve vários encontros entre você e Geninho, como houve entre Geninho e Chiquinho e se Geninho disse a você que não concordou, parabéns, é sinal que o mesmo aprende rápido já que todas as vezes que Geninho falou comigo e com Chiquinho ele sempre fazia questão de frisar que você não arrumaria o grupo. Se ele mudou de opinião é um problema dele e não meu. Quanto a Chiquinho, ele tem um partido e tem independência, cabe a você conquistar a confiança dele nesse seu projeto. Vale ressaltar, que não fui eu quem lançou o nome de Chiquinho como pré-candidato".

Conforme falei, cada vez o tema "UNIÃO" se torna distante dos dois lados polarizados...  Isso só confirma o que já falei antes: O PT tomou a atitude certa e transparente.

Antes de terminar, gostaria de dizer que achei bem interessante o texto do tópico  "REFLEXÕES SOBRE AS ELEIÇÕES ANTERIORES", de Jorge Santana e, em breve, farei uma postagem nesse sentido. Foi uma análise sólida e lógica, que comprova que "DINHEIRO NÃO É TUDO, ATÉ MESMO QUANDO SE TRATA DE ELEIÇÕES"! Parabéns, Jorge!


3 comentários:

  1. eu vejo nessas informações que o povo não tem importancia nenhuma veja quem decide o voto do povo zé de dé, aragão, do outro lado osmar e tonhão, nos pra eles somos marionetes, quem decide é o povo acordem.

    ResponderExcluir
  2. Na visão dos políticos o povo só serve para votar.

    ResponderExcluir
  3. De acordo com nossa Constituição Federal vivemos numa democracia partidária, ou seja, devem os partidos indicarem a lista de seus candidatos para o povo votar.

    Em miúdos nosso sistema eleitoral não autoriza o povo votar na escolha dos candidatos e sim os filiados em partidos politicos, em seguida o povo escolhe qual o melhor nome dos partidos.

    Por isso que o Tribunal Superior Eleitoral - TSE constituiu a fidelidade partidária que o Congresso Nacional vem se amarrando para votar a Reforma Política que inclui essa matéria e outras.

    Então amigo Rinaldo, o povo não só serve pra votar como é obrigado a votar (no Brasil o voto é obrigatório).

    Esse é meu entendimento pelo pouquíssimo do que venho estudando no meu curso de Direito e as poucas leituras que faço a respeito do assunto.

    Parabéns Geraldo pelo seu Blog.

    ResponderExcluir

Olá, meu nobre visitante!

Sinta-se à vontade para opinar, sugerir, criticar as postagens aqui publicadas. Esse é um espaço para debatermos Cidadania e Conscientização Política. Quero, porém, alertar que, apesar de zelarmos pela liberdade de expressão, não publicaremos comentários ofensivos.

Obrigado pelo seu comentário!