quinta-feira, 23 de fevereiro de 2012

FINAL DE SEMANA EM MONTE ALEGRE DE SERGIPE, INÍCIO DA QUARESMA


Esse longo final de semana, 18 a 22 de fevereiro de 2012, foi tranqüilo em nosso município de Monte Alegre de Sergipe, apesar de ser o período carnavalesco, o município estava quase inerte(parado), não houve nenhuma manifestação a não ser na quarta feira dia 22 o Pároco da Matriz com a Igreja repleta de fieis faz a celebração da missa das Cinzas, dando o inicio da quaresma.
A missa da quarta-feira de Cinzas celebrada pelo Pároco de Monte Alegre de Sergipe, Padre Edmilson, é carregada de uma forte simbologia cristã, caracterizada pela cruz de cinzas que é posta na testa dos fieis durante a celebração. A cruz é o símbolo da renovação do compromisso com a fé cristã, como diz a frase que marca o início da Quaresma: Convertei-vos e crede no Evangelho. "Este ó momento em que refletimos para alcançar mais humildade, para lembrarmos que somos feitos de pó e a ele retornaremos. Neste tempo de conversão também devemos nos tornar mais irmãos, pensando mais no outro, ajudando sempre que possível".
A quaresma é celebrada pela Igreja Católica e Anglicana, são 40 dias, que significa o número da provação que lembra: 40 dias do dilúvio; 40 dias de peregrinação dos judeus pelo deserto quando fugiam do Egito; 40 dias que JESUS passou no deserto sofrendo algumas tentações. São 40 dias de preparação para Páscoa que é a maior celebração da Igreja Católica.
Todos católicos e anglicanos deverão dedicar estes 40 dias de orações e abstinência. No caso de abstinência a regra se baseia em deixar de fazer alguma coisa que gostamos.
Nessa celebração o Padre Edmilson lembrou o lançamento da 49º Edição da Campanha da Fraternindade, que tem como tema "Fraternidade e Saúde" e lema "Que a saúde se difunda sobre a terra". Segundo Padre Edmilson, Este é o tempo de nos convertermos e pensarmos nos nossos irmãos. Por isso a campanha fala sobre saúde, que é um problema mundial e que devemos todos refletir sobre os desafios e as dificuldades.
MONTE ALEGRE DE SERGIPE ESTÁ EM NOSSAS MÃOS, PEÇAMOS ORIENTAÇÃO A JESUS PARA QUE SEJAMOS ORIENTADOS A ESCOLHERMOS A PESSOA CERTA, QUE ESSA PESSOA POSSA ENGRANDECER O NOSSO MUNICIPIO.

segunda-feira, 20 de fevereiro de 2012

A Ficha Limpa será que alcançou os políticos de Monte Alegre de Sergipe?


A lei da Ficha Limpa, aprovada na última quinta feira, dia 16 de fevereiro de 2012, pelo STF (Supremo Tribunal Federal), deverá atingir muitos prefeitos e gestores públicos no Estado. Acredito que diversos políticos de Monte Alegre de Sergipe serão atingidos por essa lei
 Como eu não sou nenhum jurista, não tenho competência para comentar sobre a Ficha Limpa, mas li uma entrevista no site www.cidadeverde.com do advogado DANIEL OLIVEIRA, que foi entrevistado no Jornal do Piauí desta sexta-feira (17/02/2012).
 Veja o que diz o Advogado Daniel Oliveira:
“O Supremo Tribunal Federal considerou válida a Lei da Ficha Limpa. A norma deixa inelegíveis por oito anos políticos cassados, condenados por órgão colegiado ou que renunciaram para evitar uma punição. A regra vale já nas eleições deste ano. Ela é fruto de iniciativa popular. Foi enviada ao Congresso depois de obter mais de 1,3 milhão de assinaturas de eleitores.
A lei deve ser aplicada no momento do registro da candidatura. “É nesse momento que se sabe se ele será ou não inelegível. O direito de se candidatar tem que estar compatível com a moralidade da lei”, afirmou Daniel Oliveira.
 Para o advogado, um dos pontos que devem impedir o maior número de candidaturas são as prestações de contas rejeitadas pelos tribunais de contas do Estado e da União. Para ser enquadrado nesse item as contas precisam ter sido rejeitadas por: irregularidade insanável (crime de natureza grave como enriquecimento ilícito e danos ao erário público); ato doloso de improbidade administrativa (quando o gestor assume o risco e a intenção sobre a prestação de contas); decisão irrecorrível no órgão colegiado (Câmara de Vereadores, TCE e TCU).
Daniel Oliveira recomendou a leitura do livro "Ficha Limpa: A vitória da Sociedade", publicado pela Ordem dos Advogados do Piauí em parceria com os advogados Marcos Vinícius Furtado Coêlho e Ophir Cavalcante (presidente nacional da OAB).
Veja o que muda com a Lei da Ficha Limpa:
 - O período de inelegibilidade aumentou de 3 para 8 anos a partir da data da condenação. Então, candidatos que tenham sido condenados no ano de 2004 até agora não poderão concorrer às eleições;
 - Basta uma decisão de um órgão colegiado (com mais de uma autoridade);
 - Candidatos condenados por compra de votos, conduta vedada, doação irregular de campanha serão impedidos de se candidatar;
 - Condenação criminal pelos seguintes delitos: Crimes contra a economia popular, contra a administração pública, contra o meio ambiente, crimes eleitorais, contra a vida e a dignidade sexual, crimes praticados por organizações criminosas por quadrilhas não poderão ser candidatos.
Quem pode ser enquadrado pela Lei:
- Servidores públicos demitidos;
- Profissional de classe que tenha perdido o registro profissional ou sido expulsos por seus conselhos;
- Gestores com contas rejeitadas pelos Tribunais de Contas Estaduais e da União;
-Condenados por qualquer órgão colegiado, como o Tribunal de Justiça.
Quem não pode ser enquadrado pela Lei:
 - Condenados por crimes culposos (onde não existe intenção)
-Condenações de até 2 anos (penas de menor potencial ofensivo)
- Condenados por ação privada (calúnia, difamação e injúria)
- Candidatos que perderam o mandato por infidelidade partidária
- Condenados em 1ª instância (decisão monocrática) também não podem ser enquadrados;
-Condenados por propaganda eleitoral antecipada.”
Fonte: http://www.cidadeverde.com (pesquisado no dia 17/02/2012 - Flash Sana Moraes e Yala Sena)
Como disse o Advogado Sebastião Ventura Paixão especialista do Instituto Millenium, que a decisão do Supremo Tribunal Federal (STF) representa uma “vitória para a democracia brasileira”.
Portanto, continuo dizendo que o futuro de nosso município está em nossas mãos... para sermos vitoriosos temos que escolher uma candidato que representa bem o nosso destino e que figure com brilho a palavra CANDIDATO que significa: puro, sincero, honesto, inocente.
Então povo bom de Monte Alegre de Sergipe vamos protestar, vamos gritar, vamos lutar  e se preciso vamos às ruas, vamos aos povoados, vamos as comunidades, fazer zoadaço, buzinaço e o que mais preciso for para acordar os homens honestos, puros, sinceros, inocentes que estão silenciosos. Para que se manifestem em favor de nosso querido município de Monte Alegre de Sergipe, os Ministros do  Supremo Tribunal Federal fizeram a parte deles, consagraram a constitucionalidade da lei  FICHA LIMPA, falta agora a nossa parte, escolher a melhor pessoa que possa gerenciar(Prefeito) o nosso município, só faltam 230 dias para traçarmos o futuro  do nosso município.

quinta-feira, 16 de fevereiro de 2012

PREPARA-SE O FUTURO DE MONTE ALEGRE DE SERGIPE DEPENDE DO NOSSO VOTO

O que nós aprendemos de novo na política local?; O que foi que deu errado com os nossos governantes (Prefeito e Vereadores)?; Porque não foi atendido os anseios de nossa população?; Quem são verdadeiramente os culpados?,
Os nossos representantes (Prefeito e Vereadores) que ai estão é a caixa de ressonância da nossa cidadania. Se eles são ruins a culpa é nossa, fomos nós quem o escolhemos, não podemos culpar ninguém.
Dito isso, reflitamos sobre  o nosso destino pelo próximos quatros anos(2013/2016).
Vejam, amanhã dia 17 de fevereiro de 2012, sexta feira, à noite, dará início aos trabalhos legislativo do nosso Município.
Reconheçamos a relevância do trabalho do vereador. É extremamente honroso ser eleito vereador. Os mandatos municipais – de Prefeito, Vice-Prefeito, Vereador – são os que devem ter mais significado moral para aqueles que por tais mandatos sejam consagrados. Não são apenas mandatos, são láureas: representam o reconhecimento do povo a cidadãos da cidade em que a pessoa vive.
Este ano de 2012, ano eleitoral é bem atípico para os atuais vereadores. Até o dia 15 de abril deste ano o Prefeito deverá encaminhar para o Legislativo(Câmara de Vereador) o Projeto de Lei de Diretrizes Orçamentária – LDO, que estabelece as metas e prioridades para o exercício financeiro de 2013, orienta a elaboração do oamento e faz alterações na legislação tributária, para ser apreciado e aprovado até o iníco do mês de Julho/2012.
No segundo semestre deste ano o Executivo(Prefeito) até o dia 31 de agosto de 2012, deverá também encaminhar a Camara de Vereadores o Projeto de Lei Orçamentária Anual – LOA – que estima receitas e fixa despesas para o  ano de 2013, de acordo com as prioridades contidas no PPA e LDO, detalhando quanto será gasto em cada ação e programa, que deverá ser apreciada e aprovada pelos vereadores até a última semana de Dezembro/2012.
Ambos os instrumentos mencionado acima são amparados pelo artigo 165 da nossa Constituição Federal e também pela Lei de Responsabilidade Fiscal (Lei Complementar 101/2000).
Neste ano também os vereadores promulgarão antes do pleito eleitoral, os subsídios (salários) dos Vereadores, Prefeito, Vice Prefeito e dos Secretários Municipais para o período 2013/2016,  respeitando os  princípios da Constituição: os da impessoalidade e moralidade (art. 37),
Portanto vejam o quanto é importante um VEREADOR, que além de zelar pela comodidade dos munícipes, reivindicando melhorias, encaminhando soluções, elaborando e acompanhando projetos. Ele é o elo de ligação do governo com povo.
Reflita o quanto é importante o seu voto, se escolhemos políticos que não tem compromisso com a sociedade é porque nós não somos comprometidos com nós mesmos.
Prepare-se para votar certo, o nosso voto é quem vai definir como deve ser a saúde, a educação, agricultura familiar, a habitação, o saneamento básico, o esporte e lazer, etc.
A verdade é que nós eleitores temos que nos manter atualizado e mentalmente inquieto é a melhor forma de estar bem preparados para encarar os desafios do dia a dia com a visita de tantos políticos para sentir quem melhor vai nos representar pelos próximos quatros  anos(2013/2016).

"O FUTURO ESTÁ EM NOSSAS MÃOS, OU MELHOR, EM NOSSO DEDO" 

quarta-feira, 15 de fevereiro de 2012

A POLÍTICA E A PARTICIPAÇÃO POPULAR NO GOVERNO MUNICIPAL.

Ao falar em política não está se falando apenas de um fenômeno pelo qual escolhemos os nossos governantes. Falamos de um conjunto de ações que possuem aspectos peculiares e diversificados. Essas diversidades e peculiaridades concretizam a ação política nas coisas mais comuns do nosso cotidiano, que vão desde o custo de vida, preço dos alimentos e vestimentas até o nascimento da prostituta e do menor abandonado, cresce assim a importância da participação popular na Gestão dos municípios. Embora a participação que menciono acima seja erroneamente interpretada por alguns agentes e “analfabetos” políticos, apenas como um simples exercício do voto no período eleitoral, os veículos de comunicação nos propiciam espaços como esse para discutir e esclarecer melhor esse assunto perante a nossa sociedade. Quando se amplia o acesso da população às informações sobre as propostas, decisões e ações governamentais, cria-se uma condição necessária para governantes e gestores públicos prestarem contas sobre questões relativas à formulação, ao controle, à fiscalização, à avaliação e a correção de rumos das políticas de prioridade para a atuação governamental. Tal atuação deve ser pautada no princípio do interesse comum e desvinculada de práticas assistencialista (oferta de cestas básicas, objetos diversos, material de construção, dinheiro, etc.), deve-se atender às virtudes e preferências de dada comunidade, identificando e empreendendo o status da concordância para estabelecer o bem comum e defender os direitos e interesses dos cidadãos, promovendo fontes de emprego, acesso à saúde, à educação de qualidade (direito de todos e dever do estado, arts. 196 e 205 CF/88) .   Assim, também podemos descrever a política como a arte de conquistar, manter e exercer o poder, a organização, a administração das coisas públicas, portanto como tudo que é publico diz respeito aos interesses da sociedade, faze-se necessário reforçar a ideia de importância da participação popular para a construção de uma gestão democrática.  
Janeilma Costa Silva

terça-feira, 14 de fevereiro de 2012

O que significa e/ou o que é Política?

A Política é a atividade que diz respeito à vida pública. Etimologicamente, Política é Grega: ta politika, significa polis. Por sua vez, Polis é a "Cidade" que vale salientar, não como conjunto de edifícios, ruas e praças e sim como espaço cívico, isto é, entendida como comunidade organizada, formada por cidadãos (politikos), ou seja, por homens e mulheres livres e iguais nascidos em seu território, portadores de dois direitos essenciais e inquestionáveis, a isonomia (igualdade perante a lei) e a isegoria (a igualdade no direito de expor e discutir em público opiniões sobre ações que a cidade deve ou não deve realizar).
A política é, portanto a arte de governar de gerir os destinos da cidade. É todo trabalho em favor da comunidade. Tudo que a gente fala, faz ou deixa de fazer, ajuda ou atrapalha a comunidade. Proferir que os gregos e romanos inventaram a política não significa que, antes deles, não existiam o poder e a autoridade, mas que inventaram o poder e a autoridade de políticos propriamente ditos, disso não tenha dúvida.
Para o filósofo grego Platão (428-347 a.C.), as decisões políticas não podem ser da alçada de qualquer um, pois só as pessoas preparadas devem se ocupar delas. Enquanto para o outro filósofo grego Aristóteles (384-322 a.C.), este afirmava que o homem é por natureza um ser social, ou seja, para sobreviver, não pode ficar completamente isolado de seus semelhantes. Para ele, a política é uma continuidade da ética, isto é, a ética é entendida como uma parte da política. A ética se dirige ao bem individual, a política se dirige ao bem comum.
Em tempo de eleições é muito comum ouvir frases desse tipo: Não dou palpite porque não entendo nada de política. Nem quero entender... Acho que o fato de um candidato pertencer a um ou outro partido não faz a menor diferença; o que vale é a pessoa escolhida. Não tenho gosto em votar. Os políticos sempre dizem as mesmas coisas. Prometem e não cumprem. Querem é se arranjar na vida, isso sim! Qual é a função do vereador ou do deputado? Não sei... Escolhi este candidato porque lhe devo alguns favores pessoais. Além disso, ele me prometeu colocar minha irmã no serviço público.
Como se desenvolve a Política?
No contexto capitalista subdesenvolvido, esse questionamento se torna para nós um desafio diário e a priori tão importante quanto contraditório diante da realidade pela qual estamos vivendo e lutando para sobrepujar as desigualdades sociais que se prolonga na história. O compromisso por uma sociedade igual geralmente advém do grupo dominante para mitigar os dominados. Por isso seu alcance é limitado, aquém de não ultrapassar a lógica do sistema. Todavia, quero ressaltar que não obstante os obstáculos e a utopia presente em todos os níveis da caminhada não deve ser motivo de desânimo e/ou achar que não vale a pena o nosso empenho por uma comunidade melhor.
Pelo contrário, vamos unir os nossos dons e/ou talentos para juntos e, na medida do possível sabermos programar iniciativas mais eficazes e estruturais, como educação, saúde, desporto, lazer, habitação, cidadania, ciência e tecnologia, que pode acrescentar perceptivelmente a oportunidade de algum redirecionamento e assim alimentar a esperança e prosperidade mediante potencialidades de superação. É essa a exigência fundamental do mundo globalizado e de um sistema produtivo que tem como aliado inseparável o capitalismo.
Talvez, tudo isso não seja somente uma vontade e/ou um sonho acalentado por cada um de nós, mas, sobretudo o desejo pleno de transformar esse sonho coletivo uma realidade.  Ter um mundo melhor!
"É preciso que o melhor governo seja aquele que possua uma constituição tal que todo cidadão possa ser virtuoso e viver feliz." Aristóteles.

segunda-feira, 13 de fevereiro de 2012

POLÍTICA: "O futuro de Monte Alegre de Sergipe está em nossas MÃOS"

Para escrever sobre Política em nosso município é de uma complexidade extrema. Pelo seguinte motivo, que temos uma população na sua grande maioria analfabeta político, povo tipicamente ruralista, que ao longo da história viveu de uma política assistencialista-paternalista e clientelista, garantida e beneficiada pela máquina administrativa local, assim como pelas relações dos chefes com as esferas estadual e federal, o que coloca sob a dependência dos chefes a população local. Essa base de sustentação conta ainda com os dotes e qualidades pessoais das lideranças locais em persuadir, conquistar ou convencer o eleitorado ou clientela de que eles são “bondosos”, “honestos”, “generosos”, “pais da pobreza”, os mais preparados para assumir os “destinos do nosso município”, o que torna o povo cada vez mais dependente dessa situação, retirando deles os direitos de cidadania e independência, tendo sempre que pedir “por favor o que lhe é de direito”.
O futuro de Monte Alegre de Sergipe depende de nosso voto, vejamos o que diz a ideia chave do vídeo vinculado neste BLOG no dia 3 de janeiro de 2012, produzido por EDUARDO BUENO (http://www.geraldodebeijo.com.br/2011/12/um-povo-que-nao-conhece-sua-historia.html) que diz: “O povo que não conhece a sua história está condenado a repeti-la.
Diante de tudo isso, devemos refletir sobre a bondade, a honestidade, a generosidade desses políticos que hoje em plena véspera das eleições, se dizem os pais da pobreza. Política esta, que representa o medo e o atraso através de pressões psicológicas e emocionais, fazendo com que ao invés de crescer, o individuo se ESTAGNE na situação de pobreza.

sexta-feira, 10 de fevereiro de 2012

PT completa 32 anos


PT - Partido dos Trabalhadores, 32 anos, 9 anos no comando mais alto do Brasil, Primeira mulher no Brasil como Presidenta, nasceu no ABC paulista em plena Ditadura Militar no dia 10 de fevereiro de 1980, está sendo importantíssimo no desenvolvimento do nosso pais, tirou muita gente da linha da pobreza, melhorou a qualidade de vida de todas as classes sociais do povo brasileiro, PARABÉNS PT.
Lendo o artigo de  Antônio Augusto de Queiroz, PT completa 32 anos como o partido mais influente, achei por bem transcrever para os leitores deste BLOG para que conheça a trajetória desse partido que “veio para preencher o vazio na política brasileira, carente de lideranças com raízes sociais e dispostas a mobilizar as massas na perspectiva de rompimento com o modelo então vigente, a partir de um projeto de poder que combinasse democracia, liberdade e distribuição de renda”.
Veja na integra o artigo abaixo:
“O Partido dos Trabalhadores, desde sua fundação em 10 de fevereiro de 1980, sempre teve presença ativa na cena política, nos primeiros 22 anos como oposição e nos últimos dez como situação no plano federal. Nunca ficou indiferente aos acontecimentos políticos e sociais ao longo destes 32 anos de existência. Sua contribuição para o processo democrático, nas lutas e mobilizações sociais, e para a consolidação da estabilidade econômica e social, no campo institucional, é inquestionável.
Forjado e construído por sindicalistas, militantes sociais e intelectuais, o PT veio para preencher o vazio na política brasileira, carente de lideranças com raízes sociais e dispostas a mobilizar as massas na perspectiva de rompimento com o modelo então vigente, a partir de um projeto de poder que combinasse democracia, liberdade e distribuição de renda.
Ao longo dos trinta anos de atuação no Congresso Nacional, consagrou-se pela combatividade, especialmente no período em que foi oposição, e pela capacidade de organização e de influência na definição da agenda e do conteúdo das políticas públicas, embora essa percepção tenha ganhado maior relevo a partir de 2003, quando o partido assumiu a Presidência da República.
O modo de organização, por núcleo temático, a disciplina da bancada e o rodízio obrigatório no exercício da liderança, na participação da mesa diretora, na presidência das comissões e na relatoria de matérias relevantes, combinados com uma assessoria profissionalizada e a forma militante de atuação dos deputados e senadores do PT, contribuíram enormemente para a qualificação da bancada, que lidera o ranking de parlamentares mais influentes no processo decisório no âmbito do Poder Legislativo Federal.
O grau de liderança do PT no Congresso Nacional, na condição de partido mais influente na articulação, formulação e negociação do conteúdo das políticas públicas, pode ser comprovado por duas linhas de aferição de atuação parlamentar, ambas do Departamento Intersindical de Assessoria Parlamentar (Diap). Uma com base em critérios que combinam aspectos institucionais, reputacionais e decisionais; outra por enquete entre os próprios parlamentares, que livremente elegem “os dez mais influentes”.

A série “Os Cabeças do Congresso”, que há dezoito anos indica os cem parlamentares mais influentes com base em critérios amplamente aceitos pela ciência política, comprova, com números, a condição do PT de partido mais poderoso nas decisões do Parlamento.

No período de 1994 a 2011, dos 1,8 mil parlamentares, entre deputados e senadores, que figuraram entre os cem mais influentes, o PT participou com 383, seguido por PMDB, com 299; PFL/DEM, com 291; PSDB, com 284; e PPB/PP, com 104. Os demais partidos, incluindo os médios (PDT, PSB, PTB, PL/PR), tiveram menos de cem parlamentares entre os que lideraram as decisões no Congresso no período.
No levantamento para identificação dos “dez mais influentes”, que o Diap coordena há quinze anos, o PT também figura em primeiro lugar. Dos 150 deputados e senadores eleitos pelos “Cabeças” entre “os dez mais influentes”, o PT contribuiu com 41 nomes; seguido por PMDB, com 35; PFL/DEM, com 27; PSDB, com 26; PPB/PP, com oito; PDT, com sete; PCdoB, com três; PSB, com dois; e PTB, com um.
A capacidade de diálogo e de negociação dos quadros do partido, seja na direção dos órgãos colegiados do Congresso, seja na relatoria de temas relevantes, como a Lei Orçamentária e o PPA, é reconhecida e elogiada por todos os partidos, incluindo os de oposição. O compromisso do PT com o interesse nacional, com a qualidade de vida do povo brasileiro e com a democracia foi o que o levou ao posto mais alto da administração pública. Não por outra razão o partido governa o país há três mandatos consecutivos, feito jamais registrado no período democrático do Brasil.”
Autor: Antônio Augusto de Queiroz
É jornalista, analista político e diretor do Diap.

quinta-feira, 9 de fevereiro de 2012

Eleições e Voto Consciente


Falar sobre eleições e voto consciente na atual realidade de nosso município é complexo, pelo motivo de que as pessoas de nossa comunidade na sua maioria agem pela emoção.
No livro Mente e Cérebro poderosos - Editora Pensamento-Cultrix de Conceição Trucom diz que as emoções nos levam às ilusões, às falsas expectativas, à distorção da realidade. Desta forma, ficam comprometidos o discernimento e a capacidade de julgamento.  
Neste mesmo livro diz que; a razão nos faz superar, crescer, transbordar, expandir para a conquista da paz. Sabemos o que está acontecendo no nosso município, os nervos estão a flor da pele e por isso devemos está bem atento aos comportamento dos candidatos, refletindo com bastante cuidado para que não cometamos erros  que no futura venha causar danos irreparáveis.  
Em virtude disso fiz uma pesquisa sobre a importância das eleições, importância do voto consciente e escolhendo um bom candidato e encontrei no site: http://www.suapesquisa.com/religiaosociais/eleicoes_voto.htm  texto que descreve com propriedade a importancia das Eleições e do Voto Consciente, leiam e reflita com atenção:
"É muito comum ouvirmos que todos os políticos são iguais e que o voto é apenas uma obrigação. Muitas pessoas não conhecem o poder do voto e o significado que a política tem em suas vidas.
A importância do voto

Numa democracia, como ocorre no Brasil, as eleições são de fundamental importância, além de representar um ato de cidadania. Possibilita a escolha de representantes e governantes que fazem e executam leis que interferem diretamente em nossas vidas. Escolher um péssimo governante pode representar uma queda na qualidade de vida. Sem contar que são os políticos os gerenciadores dos impostos que nós pagamos. Desta forma, precisamos dar mais valor a política e acompanharmos com atenção e critério tudo que ocorre em nossa cidade, estado e país.
O voto deve ser valorizado e ocorrer de forma consciente. Devemos votar em políticos com um passado limpo e com propostas voltadas para a melhoria de vida da coletividade.

Como votar conscientemente

Em primeiro lugar temos que aceitar a idéia de que os políticos não são todos iguais. Existem políticos corruptos e incompetentes, porém muitos são dedicados e procuram fazer um bom trabalho no cargo que exercem. Mas como identificar um bom político?
É importante acompanhar os noticiários, com atenção e critério, para saber o que nosso representante anda fazendo. Pode-se ligar ou enviar e-mails perguntando ou sugerindo idéias para o seu representante. Caso verifiquemos que aquele político ou governante fez um bom trabalho e não se envolveu em coisas erradas, vale a pena repetir o voto. A cobrança também é um direito que o eleitor tem dentro de um sistema democrático.

Durante a campanha eleitoral
 
Nesta época é difícil tomar uma decisão, pois os programas eleitorais nas emissoras de rádio e tv parecem ser todos iguais. Procure entender os projetos e idéias do candidato que você pretende votar. Será que há recursos disponíveis para que ele execute aquele projeto, caso chegue ao poder? Nos mandatos anteriores ele cumpriu o que prometeu? O partido político que ele pertence merece seu voto? Estes questionamentos ajudam muito na hora de escolher seu candidato.
Conclusão

Como vimos, votar conscientemente dá um pouco de trabalho, porém os resultados são positivos. O voto, numa democracia, é uma conquista do povo e deve ser usado com critério e responsabilidade. Votar em qualquer um pode ter conseqüências negativas sérias no futuro, sendo que depois é tarde para o arrependimento."

quarta-feira, 8 de fevereiro de 2012

POLÍTICA ou politiqueiro


Estamos vivendo um tempo que precedem as eleições, devemos estar atentos que política é uma ciência. Na verdade, é a arte de se proporcionar o bem-estar a todos os cidadãos, de bem governar os povos. Assim, podemos afirmar que o político quando eleito tem em suas mãos o poder, outorgado pelo povo através do voto nas urnas para ser usado em prol desse mesmo povo, visando o bem-estar social e econômico. Daí surge nossa responsabilidade diante do próximo pleito. Saibamos distinguir entre os candidatos quem é quem, pois somente assim é que poderemos decidir entre políticos e politiqueiros. Vejamos como se classifica cada um.
 Político: O politico é aquele que tem a plena consciência de que eleito sendo, será servo do povo, para satisfazer os anseios de seu povo. Sendo assim, o político é partidário da democracia. O político sempre irá procurar cumprir a legislação vigente, o politico não se troca por barganha, pois o mesmo tem uma única personalidade, ele trata da coisa publica como se fosse uma extensão de seu patrimônio, o politico não é aquele que concerta um cano para beneficio próprio ou resolver um problema parcialmente, mas sim é aquele que constrói um reservatório para o bem comum de todo povo. O politico é aquele que visa o futuro das gerações vindouras, tem visão de águia, ver a distancia, mesmo estando nas alturas consegue enxergar tudo o que está embaixo. O politico faz politica. O politico como um bom funcionário trabalha com modéstia, reconhece seus limites, tem fundamentos e princípios.  “Para Aristóteles, o politico o que mais quer é produzir certo caráter moral nos seus concidadãos, particularmente uma disposição para a virtude e a prática de ações virtuosas”.
Politiqueiro: o politiqueiro entende que é o dono do poder e, age demagogicamente de maneira equivocada, impõem suas vontades pessoais usa de parcialidade e esquece a comunidade. O politiqueiro não tem noção do que significa “coisa pública”, sendo que por diversas vezes, destrói o patrimônio publico. O politiqueiro é um homem de várias personalidades, sendo que escolhe qual delas vai usar para se livrar dessa ou daquela situação se omitindo de suas responsabilidades. O politiqueiro irá tripudiar sobre a legislação, isso é, extingui-la, modifica-la, manipula-la. O politiqueiro tem visão de porco, só ver aquilo que está à frente de seu focinho. O politiqueiro é aquele arrogante o verdadeiro pseudo-populista, é traidor, mentiroso, sustenta-se nas intrigas e das falsas palavras. O politiqueiro faz politicagem, não tem fundamentos nem principio algum.
Rinaldo Santana


segunda-feira, 6 de fevereiro de 2012

A importância do Voto

O voto é a forma legal de escolher quem nos representará politicamente. Quando votamos, delegamos nossas funções para outras pessoas. Alguém que julgamos que vá nos representar muito bem na cena política. Alguém que defenda os nossos direitos.
Por isso é importante acompanhar as propostas dos candidatos em suas campanhas difundidas em programas eleitorais através da mídia (rádio, TV, internet, jornais, etc).
É comum que nesta época  a sociedade fique confusa por não saber quais das propostas apresentadas pelos candidatos à população  são verdadeiras ou enganosas.
Cabe ao eleitor verificar a vida pública dos candidatos:
1. Se no exercício anterior de cargos públicos(vereadores ou prefeitos) se envolveram em atos ilícitos ou mesmo em processos judiciais.
2. E em caso de eleitos se vão dispor de recursos suficientes para cumprir as promessas de campanhas.
3. E se seu desempenho como político produziu bons frutos para a coletividade municipal.
E mesmo por que sabemos que a função primordial do eleitorado  no sistema democrático não se resume somente em votar. Tão importante quanto isto é colar no eleito e cobrar a aplicação correta dos recursos que chegam para a administração pública municipal.
Diante do que vemos a todo instante política virou sacanagem... TEMOS É QUE MUDAR NOSSA MANEIRA DE VOTAR. Pois candidato a político tem muito..., Porém, fazer política em benefício do povo  é  pouco. NÃO POSSO VENDER E NEM TROCAR MEU VOTO POR NADA. MEU VOTO É MUITO VALIOSO, DELE DEPENDE MEU FUTURO, O FUTURO DE UMA POPULAÇÃO.
Angelica Pontes

sábado, 4 de fevereiro de 2012

O PODER DO VOTO

A introdução da primeira eleição através do voto ocorreu em 1532 na Vila de São Vicente, que atualmente faz parte do Estado de São Paulo. Participaram desta votação apenas alguns nobres portugueses, latifundiários, grandes comerciantes e representantes da Capitania. Ficaram desde então conhecidos como “homens bons”.
Essa maneira de representação indireta que concede a alguns  o direito de representar o povo na administração pública que perdura até hoje, vem desta época colonial.
No seu entender esse tipo de votação traz mais vantagens para quem?
Já estamos no inicio da segunda década da era 2000(século XXI). Dois mil e doze é um ano eleitoral. Novamente os “homens bons”  circulam em todo o município. Fazendo o quê?
E nós cidadãos  conhecedores  DO PODER DO VOTO e que temos como bandeira a construção de uma nova modalidade de um PROJETO POLÍTICO  com ampla participação popular, como vamos nos posicionar diante desta realidade?

Valorize seu voto
 “Monte Alegre de Sergipe será o resultado do nosso voto. Monte Alegre de Sergipe está em nossas mãos”.

quinta-feira, 2 de fevereiro de 2012

Agricutura Familiar e o VOTO

O nosso municipio de Monte Alegre de Sergipe está localizado no alto sertão sergipano, no semi-árido, com uma população de 13.627 habitantes, sendo 8.043 habitantes na área urbana e 5.584  na área rural, segundo o Censo  IBGE/2010.
Com este perfil populacional o nosso município está enquadrado nos quatro mil municípios do Brasil com menos de 20.000 habitantes, haja vista que o Brasil é constituido de 5.565 municipios e o Estado de Sergipe de 75.  
Segundo a EMBRAPA a base de sustentação é a Agricultura Familiar, que é responsável por 60% da produção básica da dieta do brasileiro (feijão, milho, hortaliças, mandioca e pequenos animais, etc.).
Em geral, são agricultores com baixo nível de escolaridade e diversificam os produtos cultivados para diluir custos, aumentar a renda e aproveitar as oportunidades de oferta ambiental e disponibilidade de mão-de-obra.
Os pequenos agricultores de Monte Alegre de Sergipe não estão de fora dessa realidade, precisam ser estimulados, orientados e alertados como se comportarem no mercado globalizado.
 A Agricultura Familiar tem pressa. Ela é fundamental para construção de uma sociedade justa e harmoniosa, por esse motivo deverá ser meta primordial do futuro Gestor Público (Prefeito) na atendimento das demandas desse segmento, que tem um papel crucial na economia local   
Diante deste cenário precisamos de Gestor Público(Prefeito) voltado para o desenvolvimento de políticas públicas inovadoras adaptadas às faixas etárias da população e respeitando ao máximo as potencialidades climáticas locais (semi-árido), visando à promoção do bem estar social participativo dos munícipes.
Portanto Eleitor, o seu voto é quem vai definir o futuro da Agricultura Familiar.
 “Monte Alegre de Sergipe será o resultado do nosso voto. Monte Alegre de Sergipe está em nossas mãos”.

quarta-feira, 1 de fevereiro de 2012

Conscientização Política: a arma do eleitor



Pesquisando sobre politica encontrei este texto que segue  no Blog do Dr. Flávio Fraga que condiz com a nossa realidade.  

Veja na integra com diz o texto:



"Com uma firme consciência política o cidadão estará mais bem preparado para votar, fazer reivindicações aos governantes, acompanhar a atuação dos parlamentares e protestar quando necessário for.

Somente o voto consciente pode promover uma assepsia ética na política e a eleição de candidatos comprometidos com a transparência na gestão pública.

Brasil será o resultado do nosso voto. O Brasil está em nossas mãos.

A omissão é a pior forma de participação, pois somos responsáveis pelo que falamos e pelo que silenciamos. E, somos responsáveis pelo que fazemos e pelo que deixamos de fazer.

“O maior castigo para aqueles que não se interessam por política é que serão governados pelos que se interessam”. (Arnold Taynbee, historiador inglês).

“Os governos passam, as sociedades morrem, a política é eterna.” (Honoré Balzac, escitor francês).

“O politiqueiro pensa nas próximas eleições, o político, nas próximas  gerações”. (Otto Von Bismarck).

Parafraseando o texto acima digo :
Monte Alegre de Sergipe será o resultado do nosso voto. Monte Alegre de Sergipe está em nossa mãos.

Reflitam  com bastante atenção, as eleições estão bem próxima, o destino do nosso município pertence a cada cidadão montealegrense. 

Como você imagina o futuro de Monte Alegre de Sergipe?

Quem deve gerenciar nosso querido Município?