quarta-feira, 2 de maio de 2012

IZABEL, ÍCONE MONTEALEGRENSE


Um ano faz que Monte Alegre de Sergipe perde sua filha ilustre, uma guerreira em prol da coletividade, lutadora em todos os sentidos, Monte Alegre de Sergipe sente saudade de sua filha querida que foi para o outro lado, para a eternidade continuar sua luta. A Maria Izabel como era conhecida carinhosamente pelos colegas de luta no Brasil, no Estado e na comunidade.

No RETIRO, comunidade de Monte Alegre de Sergipe onde nasceu a nossa guerreira,  neste último dia 30 de abril relembra a memória de IZABEL. Foi celebrada uma missa em sua homenagem, lá estavam juntos a seus familiares muita gente que acredita na luta do homem do campo por dias melhores.

Foram doadas mudas de arvores para arborização do nosso semiárido, coisa que IZABEL sempre fez, lutar pelo meio ambiente.

Não sou capaz de mencionar em letras a pudicícia de IZABEL, são imensas, nem os papeis que existem no mundo seriam capazes de descrever as suas virtudes.

Imagine só, uma sertaneja daqui de bem perto da gente,  que teve a coragem quando solicitado dos Movimentos Sociais do Brasil pessoas corajosa para defender a DEMOCRACIA, haja vista que estava sendo ameaçada quando tentaram matar RAFAEL CORREIA o atual Presidente do EQUADOR, no dia 30 de setembro de 2010, lá estava nossa querida IZABEL junto aos Chilenos, Argentino, Peruanos, e aos manifestantes favoráveis ao presidente, na linha de frente.

IZABEL onde estiver lembre-se você deixou muita saudade.

Ficamos sem a nossa preciosa GUERREIRA, foi uma perca irreparável.

 Vamos ler um texto cedido pelo MPA (Movimento dos Pequenos Agricultores) que  descreve alguns tributos de IZABEL.  
TRIBUTO À IZABEL
– GUERREIRA DAS LUTAS DO MPA DE SERGIPE -
Maria Izabel da Silva, nascida em 03 de Outubro de 1981, filha de camponeses do Povoado Retiro, em Monte Alegre-SE. De menina, nascida nas Caatingas do Sertão Sergipano, voo alto para além das fronteiras nos caminhos do movimento. E seguiu a viagem além do tempo em 30 de abril de 2011.
Na sua trajetória terrena, cresceu como criança campesina, com os pés nos torrões, por entre pedras e folhas espinhosas dos sertões; Alfabetizou-se na escola básicas de sua comunidade e concluiu o ensino médio na cidade, Monte Alegre. E aprendeu as marcas do Movimento dentro dos seus próprios laços de família, a militância lhe pareceu inerente.
Em 2002, participou de sua primeira atividade externa – era o Fórum Social Mundial no Rio Grande do Sul. Neste período, se embrenhou na selva de pedras da cidade grande, em São Paulo ingressou como quando fazem os nordestinos em busca de emprego. Experimentou os abrolhos da capital durante um ano.
O tempo voa, e vou de volta ao Sertão Sergipano para iniciar uma grande luta no Movimento de Pequenos Agricultores, desta vez como militante ativa. Por entre encontros municipais, estaduais e nacionais, Izabel logrou forte os seus caminhos e não demorou muito para se destacar no cenário nacional do movimento.
Participante das instâncias de coordenação, participou do Primeiro Encontro de Formação Nacional em Luzitânia – Goiais. Dai então, veio a participar de muitos fóruns e lutas, tais quais, o Coletivo de Educação, inúmeras escolas de formação estadual e inter-estadual, das articulações como a Articulação Popular em Defesa do Rio São Francisco. Participou de Conferências da Terra e da Água, Assembléia Popular, Membro titular do Comitê de Educação do Campo em Sergipe, entre tantas atividade de luta.
Um marco importante na defesa do Semiárido e do Rio São Francisco, foi sua participação na greve de fome junto a Frei Luiz Cappio em 2005. Não hesitava em momento algum e jogava-se na luta que a chamava. As águas do São Francisco e o mesmo Santo lhe abençoou em agradecimento.
Como membro da Coordenação Nacional do MPA, sua participação e consciência a conduzia no mais forte compromisso, como se fosse uma Festa. E deu graças às Sementes Criolas, como guerreira interditou pontes, estradas e portas em defesa dos camponeses, povos e comunidades tradicionais.
Em defesa da natureza da vida gritou ao coração, cada palavra de ordem contra a desordem do mundo. Fez defesas do micro ao macro contra o poderio politico e econômico, defendeu a escola publica do campo para não permitir seu fechamento. Em Sergipe somou-se também, no processo de construção da RECID – Rede de Educação Cidadã, da Assembléia Popular e da Consulta Popular deixando nesses espaços fortes marcas de companheirismo e de exemplo de luta.


3 comentários:

  1. Itamar Peregrinno2 de maio de 2012 13:24

    luz e Paz
    Pois então, fico muito feliz por esse cuidado e sensibilidade de demonstrar para as pessoas que infelizmente não puderam estar lá na celebração da memoria de lutadaors e lutadores especialmente de nossa Izabel Silva, sua histó ria e seu legado.
    v aleu companheiro Geraldo.

    Izabel da Silva, Presente, presente , presente.

    att// Itamar Peregrino
    (Militante do MPA e Educador Popular).

    ResponderExcluir
  2. Os bons precisam ausentar-se desta vida para que sua sementeira abrolhe e der frutos! Isabel deixou a vida terrena, mas o seu exemplo de LUTA pela cidadania conservar-se vivo.

    José Marcos Silva

    ResponderExcluir
  3. O exemplo de lutar de Maria Izabel nunca sera esquecido .

    ResponderExcluir

Olá, meu nobre visitante!

Sinta-se à vontade para opinar, sugerir, criticar as postagens aqui publicadas. Esse é um espaço para debatermos Cidadania e Conscientização Política. Quero, porém, alertar que, apesar de zelarmos pela liberdade de expressão, não publicaremos comentários ofensivos.

Obrigado pelo seu comentário!